Como figurinista sempre estou em busca de matérias primas diversas, minha atenção é voltada para pesquisa de materiais que possam dar suporte às minhas criações. Este olhar trouxe para perto a curiosidade de saber mais sobre a Plástico Bolha Store que pensou em transformar o plástico bolha em utilitários variados. O que mais me chamou atenção a princípio foram as cores vibrantes que desconhecia neste material, só conhecia o transparente. De encontro a esta descoberta, veio o o projeto de cenário e figurino para Deadline onde a nossa diretora chegou com o desejo de infláveis, de plástico, de transparência, então imediatamente me veio a idéia de experimentar fazer figurinos de plástico bolha! As duas personagens estão desconfortáveis neste mundo, elas estão neste invólucro onde seu fim é proteger e evitar danos, reduzir impacto direto de materiais frágeis! A fragilidade diante da vida, a busca por um lugar seguro tem tudo a ver com este material, neste contexto que buscávamos. Quanta beleza surgiu em cores, em textura, em forma. Foi um encontro perfeito,  alcançado com o risco inevitável, mas absolutamente consciente e de encontro com o idealizado. Para minha felicidade, todas as partes envolvidas disseram sim! Hoje vendo o resultado entendi o quanto a ousadia nos impulsiona e nos faz acreditar que basta somar as forças criativas de todas as partes com uma idéia para que tudo se torne possível!

Anne Cerutti

A parceria com a Plástico Bolha Store foi um grande passo na produção do espetáculo paulista Deadline.

Com texto de Priscila Gontijo e direção de Fernanda D’Umbra, essa peça, contemplada pelo 6. Prêmio Zé Renato de Teatro para a cidade de São Paulo, partiu do plástico bolha para embalar suas personagens. Quando soubemos que existia um lugar onde poderíamos esculpir nossos figurinos com plástico bolha colorido e de diferentes gramaturas, quase enlouquecemos. A figurinista Anne Cerutti nos trouxe as imagens do site da Plástico Bolha Store. A produtora Nicole Cordery entrou em contato com o Daniel Wenna, super solícito desde o primeiro telefonema. O próximo passo foi a visita a fábrica no Rio de Janeiro feita por nossa diretora Fernanda D’Umbra e pela figurinista Anne Cerutti. As duas retornaram a São Paulo em êxtase. Sim, era possível termos nossos personagens vestindo plástico bolha. E não só isso. Os tapa-olhos seriam de plástico bolha, as toucas e os propés do laboratório ginecológico seriam de plástico bolha, o Girassol, signo importante na peça, seria de plástico bolha, todos os ternos seriam de plástico bolha.

Daniel Wenna e sua equipe pararam a produção usual da fábrica para esculpir nossas demandas. Tivemos a emoção de na semana anterior a estreia vivermos a greve dos caminhoneiros, e com isso, não termos os serviços de transporte intermunicipal de Sedex, Fedex ou DHL. Apelamos aos amigos via Facebook e mais uma vez,  Daniel super gentil levou todos os nossos figurinos até a portaria de uma amiga produtora que conseguiu viabilizar a vinda do material.

Resultado: em todas as análises críticas que saíram até o momento os figurinos são citados, para nossa alegria.
Essa colaboração deu mais que certo e nos enche de alegria a cada noite em que fazemos Deadline! 

Nicole Cordery (Atriz e produtora da peça Deadline)

Fotos: Vitor Vieira.